Bombeiros israelense combatem o fogo na fronteira com a Faixa de Gaza. Foto: Edi Israel/Flash90 Bombeiros israelense combatem o fogo na fronteira com a Faixa de Gaza. Foto: Edi Israel/Flash90

Dias após o anúncio de um cessar-fogo, 11 incêndios foram causados em Israel por balões incendiários lançados da Faixa de Gaza. Clima seco dificulta os trabalhos de bombeiros e voluntários que tentam controlar o fogo.

David Aghiarian, Unidos com Israel

Na manhã de quarta-feira, o general do Exército de Israel, Camil Abu Rukon, responsável por coordenar atividades governamentais frente aos palestinos, havia anunciado medidas para beneficiar a vida de palestinos na Faixa de Gaza. Entre as medidas, por exemplo, podemos citar a ampliação da área onde a pesca é permitida, o envio de combustível e ajuda humanitária.

Dias antes, Israel havia permitido a entrada na Faixa de Gaza, de uma delegação do Qatar trazendo 30 milhões de dólares em dinheiro para os palestinos. A Autoridade Palestina de Mahmoud Abbas, recebeu aproximadamente 300 milhões de dólares do governo do Qatar.

O Emissário da ONU para o Oriente Médio Nickolay Mladenov, visitou a Faixa de Gaza e disse que o cessar-fogo entre Israel e Hamas é “a última oportunidade” de tentar impedir um confronte de larga escala na região. Nickolay Mladenov, participou da inauguração de uma estação de energia solar e disse que “o próximo confronto aparentemente será o último.”

A resposta do Hamas e das demais organizações terroristas da Faixa de Gaza veio logo em seguida. Impedidos de lançar foguetes contra Israel, pelos termos do cessar-fogo mediado pelo Egito e pela ONU, balões incendiários foram a usados.

Nesta última quarta-feira, 6 incêndios foram causados por balões incendiários lançados por palestinos da Faixa de Gaza contra Israel. A comunidade de Eshkol, próxima a fronteira, é a região mais castigada pelos incêndios.

Bombeiros e voluntários trabalharam o dia todo para apagar os fogos de incêndio e controlar as chamas. Os trabalhos das equipes foram dificultados pelo clima seco e pelo calor.

 

Alon Shuster, parlamentar israelense do partido Azul e Branco, falou sobre os incêndios causados pelo Hamas. “Apesar das garantias de tranquilidade e segurança, o sul de Israel está novamente queimando.”

Na semana passada, o Hamas e a Jihad Islâmica já haviam ameaçado lançar foguetes contra Israel durante a final do festival Eurovision. Milhares de turistas do mundo inteiro estava em Tel Aviv para participar do festival.

Em resposta as ameaças de ataque ao Eurovision, Jason Greenblatt, emissário dos Estados Unidos para o Oriente Médio, escreveu em sua conta no Twitter: “É dessa forma que o Hamas espera conseguir apoio? Acordem! Hamas e Jihad Islâmica, acordem! Este comportamento terrorista e malévolo nunca prevalecerá e apenas trará sofrimento e prejudicará o povo palestino.”

Na manhã desta quinta-feira, o general do Exército de Israel Camil Abu Rukon, informou que Israel novamente diminuirá a área de pesca permitida até segunda ordem.