Caption/Social Media/Youtube) Caption/Social Media/Youtube)

“O Holocausto terá sido um piquenique quando terminarmos com todos vocês, sionistas bastardos”, escreveu Matome Letsoalo nas redes sociais.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 27/10/2020

 

Pela primeira vez na história da África do Sul, um homem foi condenado por suas manifestações antissemitas nas redes sociais. O réu, Matome Lestsoalo, usou o Twitter em junho de 2018 para atacar o Conselho de Representantes da Comunidade Judaica da África do Sul, SAJBD na siga em inglês.

Tweet postado por Letsoalo em junho de 2018 (Caption/Social Media)

“SAJBD: o holocausto terá sido um piquenique quando terminarmos com todos vocês, sionistas bastardos. Fodam-se todos”, escreveu Matome Letsoalo nas redes sociais. Além disso, uma suástica nazista, uma foto da bandeira de Israel sendo queimada e outra de prisioneiros judeus nos campos de concentração ilustravam o tweet.

O agressor enviou ainda outra mensagem para a instituição onde escreveu que “os ratos, falsos judeus, sionistas bastardos que regem nossa economia” deveriam ser “dizimados”.

Após os ataques, os representantes da comunidade judaica da África do Sul foram às autoridades e prestaram uma queixa contra Matome Lestoalo. Na última sexta-feira (23) após mais de dois anos de batalhas judiciais, ele foi condenado pelo crime de injúria pelo tribunal de Randburg, zona metropolitana de Johanesburgo, capital da província de Gauteng na África do Sul.

Em nota, a SAJBD disse que “um significante passo na luta contra o antissemitismo online” havia sido dado com a condenação de Motome Lestoalo.

“Este resultado envia uma poderosa mensagem de que ameaças e ataques repletos de ódio contra nossa comunidade não serão tolerados”, disse a instituição.

Na próxima sexta-feira (30), Motome Lestoalo terá de se apresentar novamente diante do tribunal para ouvir então, sua sentença.