Prédio da UNRWA na Faixa de Gaza ( Khatib/Flash90) (Abed Rahim Khatib/Flash90)
UNRWA Gaza

Diretor da UNRWA em Gaza, Matthias Schmale foi ameaçado pelo grupo terrorista Hamas após dizer que bombardeios israelenses “muito precisos”.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 08/06/2021

 

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos, UNRWA na sigla em inglês, admitiu no último final de semana haver encontrado um túnel de assalto do grupo terroristas Hamas sob uma de suas escolas na Faixa de Gaza.

Durante o último conflito entre Israel e o Hamas a rede de túneis subterrâneos da organização terrorista foi um dos principais alvos da força aérea israelense. Construído em áreas civis, sob casas, escolas e hospitais, o “metrô” do Hamas é uma ferramenta utilizada pelos terroristas para defender-se das investidas israelenses e como base para o lançamento de foguetes.

O túnel citado pela UNRWA está localizado sob a escola Zaitoun “A” para meninos. Durante o último conflito e de acordo com a agência da ONU “danos foram causados” à instituição por bombardeios israelenses.

“A UNRWA descobriu a existência de um possível túnel durante o curso de uma investigação sobre os mísseis disparados”, diz uma nota divulgada pela instituição que acusou Israel por violar sua “neutralidade”. Ainda de acordo com a agência, ninguém se feriu no bombardeio israelense às instalações do Hamas.

A nota divulgada condena ainda o que a UNRWA chama de “grupos palestinos armados”, por construírem instalações militares sob suas escolas.

“É inaceitável que alunos e funcionários sejam colocados em risco dessa forma”, afirma.

 

Diretor da UNRWA ameaçado pelo Hamas

 

O Diretor de Operações da UNRWA na Faixa de Gaza, Matthias Shmale, e seu vice, foram retirados pela instituição do território controlado pelo Hamas no início deste mês. Ele vinha sendo intimidado e ameaçado pelo grupo terrorista e foi obrigado a se desculpar publicamente pelo que falou à mídia israelense.

Em uma entrevista para o canal 12 Matthias Schmale disse que os bombardeios israelenses à Faixa de Gaza durante a operação “Guardião das Muralhas” haviam sido feitos com extrema “sofisticação” e “precisão”.

“Eu não sou um especialista militar, mas não há como questionar isso”, disse Shmale.

A declaração do Diretor de Operações da UNRWA na Faixa de Gaza foi interpretada como uma afronta pelo Hamas que imediatamente iniciou uma campanha de intimidação.

De acordo com a UNRWA, Shmale foi assinalado como uma “persona non grata” por “facções palestinas”, algo que levou a instituição ficar “extremamente preocupada” com a sua segurança.

Matthias Shmale e seu vice foram transferidos para Jerusalém para “consultas”.