Yair Lapid (GPO) Yair Lapid (GPO)

Jerusalém estuda a adoção de medidas contra Moscou se concretizada a decisão de impor o fechamento da filial russa da Agência Judaica para Israel.


Por Unidos com Israel

Jerusalém, 25/07/2022

 

Jerusalém e Moscou podem estar à beira de uma grave crise diplomática. Isto, de acordo com agentes israelenses que participaram neste domingo (24) de uma reunião que tratou da ameaça da Rússia às atividades da Agência Judaica para Israel.

Na última quinta-feira (21) o Ministério da Justiça da Rússia, através de um tribunal de Moscou, ordenou o fechamento da Agência Judaica no país e o encerramento de suas atividades. Com sede em Jerusalém e filiais em diversas cidades do mundo, o órgão ligado ao governo israelense dá suporte às comunidades judaicas da diáspora e auxilia os judeus que queiram imigrar para Israel.

De acordo com a mídia israelense, durante a reunião em questão, convocada às pressas pelo primeiro-ministro Yair Lapid, o Ministério das Relações Exteriores de Israel foi instruído a elaborar uma lista de medidas que possam vir a ser adotadas caso se concretize a ameaça russa às atividades da Agência Judaica. Entre elas, podemos citar por exemplo a convocação do Embaixador de Israel na Rússia para consulta.

A convocação de um embaixador é um delicado instrumento da diplomacia que representa o descontentamento de um país com a decisão ou ações de outro.

De acordo com uma nota divulgada pelo gabinete do Primeiro-ministro de Israel participaram da reunião em Jerusalém a Ministra da Imigração e Absorção, Pnina Tamano-Shata, o Diretor-geral do Ministério das Relações Exteriores, Alon Ushpiz, e a Diretora Interina da Agência Judaica, Amira Aharonowitz.

Imigrantes judeus de países da antiga União Soviética os ministros israelenses Zeev Elkin (Infraestrutura e Habitação) e Avigdor Lieberman (Fazenda) também participaram do encontro.

 

Ato grave capaz de perturbar as relações

 

Em uma nota divulgada hoje o primeiro-ministro Yair Lapid disse que as relações entre Jerusalém e Moscou podem ser perturbadas caso a Rússia insista em fechar a sede da Agência Judaica no país.

“As relações com a Rússia são algo muito importante para Israel. A importância da grande comunidade judaica russa sempre vem à tona durante nossos diálogos diplomáticos com Moscou. O fechamento da filial da Agência Judaica será considerado um ato grave e uma perturbação à essas relações”, diz uma nota divulgada pelo gabinete de Lapid.

A Ministra da Imigração e Absorção de Israel, Pnina Tamano-Shata, por sua vez, disse que Jerusalém não tem qualquer intenção de que as relações com Moscou sejam prejudicadas. Apesar disso, ela não descartou esta possibilidade caso concretizada a decisão de Moscou.

“Eu não quero acreditar que a Rússia irá fechar a Agência Judaica”, disse ela.