General Aviv Kochavi com o Qadi Muafek Tarif, líder espiritual da comunidade drusa em Israel (Foto: IDF) General Aviv Kochavi com o Qadi Muafek Tarif, líder espiritual da comunidade drusa em Israel (Foto: IDF)

Em comemoração à festa Eid Al-Adha, o Estado-Maior do Exército de Defesa de Israel, General Aviv Kochavi, visitou comunidades drusas e beduínas.

Unidos com Israel

Esta semana, muçulmanos, beduínos e drusos comemoram a festa Eid Al-Adha ou Eid Ul-Adha, a festa do sacrifício. Também chamada de “Grande Festa”, a celebração marca a disposição de Ibrahim, ou Abraão, em sacrificar seu filho Ismael quando este tinha apenas 13 anos. De acordo com Alcorão, diferente da bíblia, Abraão teria levado seu filho Ismael para ser sacrificado a pedido de Deus e como prova de sua lealdade.

Além disso o Eid Al-Adha, antecede o Hage, a peregrinação a cidade Santa de Meca e um dos cinco pilares do islamismo.

Para marcar esta data tão significativa para as comunidades árabes, beduínas e drusas, o Estado Maior do Exército de Israel, General Aviv Kochavi se reuniu com líderes de cada uma dessas comunidades.

General Aviv Kochavi durante encontro com membros da comunidade beduína no sul de Israel. (Foto: IDF)

Ao lado de representantes da alta cúpula do IDF, o General Aviv Kochavi visitou a tribo beduína de Atrash no sul de Israel, o Conselho Regional Alkom e na Aldeia Jules, ao norte do país, o túmulo do Qadi (líder espiritual) Amin Tarif, líder da comunidade drusa por 65 anos e vencedor do Prêmio Israel.

“As comunidades drusas e beduínas desempenham um papel imenso na segurança do Estado de Israel, tanto em posições públicas e divulgáveis, como nas mais secretas e audaciosas posições do IDF”, disse Kochavi.

O soldado número 1 do IDF, se referiu ainda sobre a acusação de que Israel é um país racista que persegue minorias. “Em primeiro lugar, falando sobre racismo, esta é uma palavra que eu sequer posso ouvir. Nós não permitiremos qualquer tipo de racismo, mesmo que em forma de comentário ou tratamento desigual com cada uma das comunidades que servem nas Forças de Defesa de Israel. Se nós vermos, se eu ver, qualquer forma de desigualdade, eu não apenas terminarei com a desigualdade, mas também punirei os responsáveis com severidade”, disse Kochavi.

“Quando vestimos este uniforme”, disse o General Aviv Kochavi, “somos todos iguais”.

O Qadi Muafek Tarif, líder esperitual da comunidade drusa, disse: “Nos vemos esta visita como uma reunião familiar. Para a comunidade drusa, o Exército de Defesa de Israel é o ponto máximo da aliança entre a nossa comunidade e povo judeu. Nossos filhos cresceram e foram educados e têm o mérito de servir ao Estado de Israel, protegê-lo e até mesmo morrer por esta causa.”