Ataque contra a sinagoga de Poway na Califórnia (AP Photo/Denis Poroy) AP Photo/Denis Poroy
The scene of a shooting attack at the Chabad of Poway synagogue in California. (AP Photo/Denis Poroy)

No último dia da Páscoa Judaica, John Earnest de 19 anos abriu fogo contra fiéis em uma sinagoga na cidade de Poway na Califórnia, ele foi detido pela polícia. Uma mulher morreu no hospital e outras três pessoas ficaram feridas, informou o Xerife Bill Gore.

As orações matinais da Páscoa judaica (Pessach) que aconteciam em uma sinagoga na cidade de Poway, foram interrompidas por um tiroteio. Por volta das 11:20 da manhã, um jovem entrou na sinagoga, nos arredores de San Diego, e abriu fogo contra os fiéis. Uma mulher ferida foi levada ao hospital, mas não resistiu. Outras três pessoas ficaram feridas entre elas, o Rabino da sinagoga e uma menina.

Equipes de emergência foram chamadas para a sinagoga no sábado de manhã, por volta das 11:30, horário local. Uma testemunha, que mora perto da sinagoga, disse na Rede de TV Fox: “Eu ouvi seis tiros, uma pausa, gritos e depois mais seis ou sete tiros”.

O prefeito Steve Vaus disse em entrevista à CNN que “eu entendi de pessoas na cena do crime que o atirador foi detido pelos frequentadores da sinagoga. Essas pessoas corajosas impediram uma tragédia muito maior”.

O presidente americano Donald Trump, escreveu em sua conta no Twitter: “Meus Pensamentos e orações estão com todos aqueles afetados pelo tiroteio na Sinagoga de Poway, Califórnia. Deus abençoe a todos vocês. Suspeito detido. As forças de segurança fizeram um excelente trabalho. Obrigado!”

O ataque de hoje aconteceu seis meses depois que um tiroteio em uma sinagoga de Pittsburgh provocou onze mortes. Em nota, a sinagoda de Pittsburg se solidarizou com os feridos no ataque de hoje. “Estamos quebrados, chocados e com raiva, conhecemos o medo, o sofrimento e a recuperação dessas atrocidades e enviamos nosso amor às vítimas e suas famílias”, diz a nota.

O embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, disse que “palavras, manifestações   e caricaturas estão se transformando em tiros contra os fiéis nas sinagogas”. O antissemitismo continua a levantar a cabeça e a fazer vítimas. Este é o momento de agir, de lutar contra o antissemitismo e não apenas nos contentarmos com críticas fracas que permitem que as forças de ódio revivam períodos sombrios da história”.