Naftali Bennett ao centro com o Ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, à direita, e a Ministra dos Transportes, Merav Michaeli, à esquerda. (Foto: GPO/IsraeliPM) Naftali Bennett ao centro com o Ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, à direita, e a Ministra dos Transportes, Merav Michaeli, à esquerda. (Foto: GPO/IsraeliPM)

Descoberta de casos da cepa indiana do coronavírus preocupa as autoridades israelenses. País têm 606 pacientes com covid-19.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 23/06/2021

 

“Nós estamos lidando com esta situação como se fora um novo surto de coronavírus”, disse o Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, nesta terça-feira e depois de o país registrar 110 novos casos de covid-19 em 24h. Na segunda-feira (21), 125 novos casos foram confirmados.

A declaração de Bennett foi feita ao lado do Ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, e das ministras do interior e transportes, Ayelet Shaked e Meirav Michaeli respectivamente. Ontem, eles visitaram o aeroporto internacional Ben Gurion em Tel Aviv e discutiram formas de barrar a entrada de novas cepas do coronavírus.

 

Cepa indiana preocupa

O aumento do número de casos de covid-19 em Israel está sendo explicado pelas autoridades sanitárias como diretamente relacionado a descoberta no país de pacientes infectados pela cepa indiana do coronavírus. Mais agressiva e contagiosa, a variante parece haver sido trazida ao país por cidadãos que regressaram recentemente do exterior.

“A variante Delta, às vezes chamada de cepa indiana, está se espalhando rapidamente pelo mundo com uma taxa de infecção muito maior do que estávamos familiarizados. Infelizmente, estamos vendo o início da propagação deste vírus já no Estado de Israel e nem sempre sabemos como localizar sua origem”, disse o Primeiro-ministro de Israel.

 

Vacinação de adolescentes

Com a grande maioria da população adulta israelense já imunizada com as duas doses da vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Pfizer o vírus hoje parece estar se espalhando e contaminando principalmente crianças e adolescente. Nas cidades de Modiin e Biniyamina, focos do atual surto, algumas escolas foram fechadas e aproximadamente 5.000 crianças, professores e profissionais da área da educação informados de que deveriam permanecer em quarentena.

Enquanto Biniyamina com 105 casos confirmados de coronavírus ainda permanece “verde”, Modiin com 60 casos de covid-19 é a única cidade “amarela” de Israel.

Durante seu breve discurso Bennett incentivou os pais de crianças com idades entre 12 e 15 anos a vacinarem seus filhos o quanto antes. Isto, em conformidade com uma recente recomendação do Ministério da Saúde de Israel. Até dias atrás, a vacinação de crianças nesta faixa etária apesar de autorizada, não estava sendo incentivada.

“Como pai de filhos nesta faixa etária eu digo que irei vaciná-los”, declarou o premier israelense que é casado e tem 4 filhos.

Dias antes do início das férias de verão no hemisfério norte, Bennett pediu ainda aos israelenses que evitem viajar para o exterior e que voltem a usar máscaras em ambientes fechados, algo que já não é obrigatório no país.

Hoje, Israel tem ao todo 606 casos ativos de covid-19 em todo o seu território. Entre os pacientes diagnosticados com a doença, 50 precisaram ser hospitalizados e 26 estão em situação crítica.

Mas apesar do aumento de casos de coronavírus há 9 dias não é registrada uma morte sequer em Israel relacionada a doença. Por aqui, desde o início da pandemia, 6.428 pessoas perderam suas vidas em função de complicações ligadas a covid-19.