Rabbi Chaim Kanievsky (Yaakov Naumi/Flash90) Rabbi Chaim Kanievsky (Yaakov Naumi/Flash90)

Aproximadamente 750.000 pessoas estiveram presentes no enterro do rabino Chaim Kanievtzki, que morreu na última sexta-feira aos 94 anos de idade na cidade de Bnei Brak.


Por Unidos com Israel
Tel Aviv, 20/03/2022

Centenas de milhares de pessoas lotaram neste domingo (20) as ruas da cidade ultra ortodoxa de Bnei Brak, na região central de Israel, para acompanhar o rabino Chaim Kanievsky até sua última morada.

 

Multidão na ruas de Bnei Brak.

 

Carro fúnebre leva o corpo do rabino Chaim Kaniesvky para o cemitério de Bnei Brak.

 

Pai faz uma oração junto a seus filhos durante o enterro do “Rabbi Chaim”.

 

Um dos maiores líderes espirituais da atualidade e guia maior da linha ultra ortodoxa lituana do judaísmo, o rabino Chaim Kanievsky morreu no final da tarde da última sexta-feira aos 94 anos de idade.

Ele nasceu na cidade de Pinsk, na Polônia, em uma tradicional família de líderes judaicos. Seu pai, era o rabino Yaakov Israel Kanievsky e seu tio materno, o rabino Avraham Karelitz, conhecido como “Chazon Ish”.

Quando jovem o rabino Chaim Kanievsky casou-se com Batsheva Eliashiv, filha do rabino Yossef Eliashiv, outro importante líder judaico.

O rabino Chaim Kanievsky, ou simplesmente “Rabbi Chaim” como era conhecido, dedicou sua vida ao estudo da Torá e teologia judaica. Ele era famoso por sua extrema simplicidade, capacidade de inspirar multidões e por dar conselhos e bençãos a todos aqueles que o procuravam.

Para muitos, a palavra do “Rabbi Chaim” era lei e assim ele ganhou o apelido de “Ministro da Torá”.

Durante os anos em que liderou uma das maiores vertentes do judaísmo, o pequeno apartamento de dois quartos em que ele viveu durante toda a sua vida tornou-se um verdadeiro local de peregrinação. Judeus de todas as partes do mundo, de homens comuns à primeiros-ministros, presidente e políticos, todos buscavam os conselhos e benções de “Rabbi Chaim”.

 

Com o Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett.

 

Com o Ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz.

 

Recebendo em sua casa o Presidente do Estado de Israel, Isaac Herzog.

 

De acordo com a Prefeitura de Bnei Brak aproximadamente 750.000 pessoas estiveram presentes no funeral do rabino Kanievsky, que foi enterrado ao lado de sua esposa e pai.

 

Ruas lotadas durante o funeral do rabino Chaim Kanievsky.

 

Para que o funeral acontecesse sem grandes problemas a polícia de Israel montou uma verdadeira operação, fechando estradas, ruas e limitando drasticamente o acesso à região central do país. Aulas foram canceladas em diversas cidades e muitos optaram por não ir ao trabalho para evitar grandes engarrafamentos.

 

Rota 4, uma das principais estradas de Israel foi fechada, recebendo apenas ônibus que seguiam para o enterro.