Shutterstock Shutterstock

Related:

Chanceler Dmytro Kuleva apagou o tweet em que acusava a companhia aérea israelense EL AL de “ganhar dinheiro banhado em sangue ucraniano”.


Por Unidos com Israel

Tel Aviv, 09/03/2022

 

O Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleva, desculpou-se nesta terça-feira após acusar falsamente a companhia aérea israelense EL AL de “ganhar dinheiro banhado em sangue ucraniano”.

Usando a plataforma de mídia social “Twitter” o chanceler ucraniano disse que a EL AL não havia aderido as sanções impostas à Rússia e seguia aceitando como forma de pagamento, a rede de crédito russa “MIR”. Para provar sua alegação, Kuleva chegou a postar a captura de tela das formas de pagamento aceitas pela cia. aérea israelense.

“Enquanto o mundo impõe sanções à Rússia pelas suas bárbaras atrocidades na Ucrânia, alguns preferem ganhar dinheiro banhado em sangue ucraniano. Aqui está a EL AL, aceitando pagamentos através do sistema bancário russo “MIR”, criado para contornar as sanções. Isso é imoral e um golpe para as relações entre a Ucrânia e Israel”, afirmou o chanceler Dmytro Kuleva através de um tweet publicado na última segunda-feira (7).

 

Resposta da EL AL e pedido de desculpas do chanceler ucraniano

 

Também através do Twitter a EL AL negou a acusação e disse haver bloqueado a rede russa “MIR” já no último dia 28 de fevereiro, logo após o início da guerra entre Moscou e Kiev.

A empresa aérea israelense disse também que apesar da bandeira “MIR” ainda aparecer como uma das formas de pagamento em seu site, uma simples tentativa de conclusão da compra comprovaria que a rede de crédito russa já era aceita.

“Nós estamos tristes que uma simples forma de checagem não foi feita antes da publicação do tweet” pelo chanceler da Ucrânia, disse a EL AL.

A cia. aérea israelense lembrou ainda que seus aviões transportaram 100 toneladas de ajuda humanitária à Ucrânia e outras aeronaves foram enviadas para evacuar refugiados e órfãos.

“A EL AL bloqueou o sistema de crédito “MIR” no dia 28 de fevereiro, junto ao fechamento do espaço aéreo ucraniano. A EL AL transportou centenas de toneladas de ajuda humanitária e insumos médicos para a Ucrânia e evacuou órfãos e refugiados, trazendo-os para o Estado de Israel onde estão em segurança”, tuitou a cia. aérea em respostas as acusações do chanceler Dmytro Kulena.

Percebendo que havia cometido um erro e acusado falsamente a companhia aérea israelense o chanceler ucraniano se desculpou e em seguida apagou seu tuite incriminatório.

“É verdade, o botão de pagamento “MIR” continua no site, mas seu uso foi bloqueado. Eu sou muito grato à EL AL pelas suas importantes operações humanitárias e transmito meu pedido de desculpas”, tuitou Kulena.

A cia. aérea EL AL também vem sendo criticada por manter seus voos para a Rússia, mas disse que faz isso a pedido do governo israelense, para permitir que os judeus russos possam deixar o país e imigrar para Israel.