Fathi Hamad, Ministro do Interior do Hamas . (AP Photo/ Khalil Hamra) AP/ Khalil Hamra
Fathi Hamad, a senior Hamas official

De acordo com o IDF explosão aconteceu enquanto terroristas preparavam armas que seriam usadas contra Israel.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 24/01/2021

 

Neste sábado (23), uma explosão na cidade de Beit Hanoun, na região norte da Faixa de Gaza, destruiu completamente um prédio localizado em uma zona residencial. O número exato de vítimas é desconhecido, mas de acordo com o jornal israelense Ynet, ao menos 36 pessoas foram encaminhadas para o hospital.

O Ministério do Interior do Hamas, grupo terrorista que desde 2007 controla a Faixa de Gaza, disse que a explosão foi causada por um “acidente”. Além de destruir o prédio, ela teria danificado a estrutura de outros 6 edifícios vizinhos e avariado outros 15 ou 20.

O barulho causado pela explosão pôde ser ouvido em diversas comunidades israelenses localizadas próximo à fronteira com a Faixa de Gaza. As imagens de uma enorme nuvem de fumaça também puderam ser vistas a quilômetros de distância.

 


Momento da explosão flagrado por câmera de segurança em Israel.

 

Horas após a explosão, o Porta-voz das Forças de Defesa de Israel, IDF na sigla em inglês, usou sua conta em árabe no Twitter para desmascarar as mentiras divulgadas pelo grupo terrorista Hamas.

“A explosão desta manhã é resultado do armazenamento de armas em lares de civis. A história deste prédio não é diferente daquela de tantos outros na Faixa de Gaza”, escreveu o Porta-voz do IDF para o idioma árabe, Coronel Avichay Adraee.

Avichay disse que o grupo terrorista transformou diversas instalações civis em áreas residenciais e densamente povoadas em verdadeiros armazéns de armas e mísseis. Isto, para impedir que estes locais sejam bombardeados pelo exército israelense em casa de um conflito.

“No final das contas, são as pessoas, inocente civis, que pagam um alto preço”, afirmou ele divulgando também imagens do local da explosão.