Mulher na cena do tirotei em Highland Park (AP Photo/Nam Y. Huh) Mulher na cena do tirotei em Highland Park (AP Photo/Nam Y. Huh)

Israel está acompanhando de perto os desdobramentos das investigações acerca do tiroteio durante as celebrações da independência dos Estados Unidos em uma parada em Highland Park, Illinois. Dois judeus estão entre as vítimas do massacre.


Por Unidos com Israel

Tel Aviv, 05/07/2022

 

O Primeiro-ministro de Israel, Yair Lapid, lamentou na noite desta segunda-feira (4) o atentando à tiros que manchou de sangue as celebrações do Dia da Independência dos Estados Unidos.

O tiroteio em massa e atentado ocorreu na cidade de Highland Park, no Estado de Illinois, próximo à capital Chicago. O local é lar de uma grande comunidade judaica e dois de seus membros estão entre as 6 vítimas fatais do massacre que deixou também 36 pessoas feridas.

O atirador, identificado com Robert (Bobby) Crimo III de 22 anos, foi preso pelas autoridades.

“Um dia de celebração transformou-se em tragédia. Meus sentimentos estão com as famílias das vítimas e todo o povo americano. Hoje, como sempre, Israel se coloca ao lado dos Estados Unidos”, disse Lapid.

O Primeiro-ministro Yair Lapid disse também que conversou com o Cônsul de Israel em Chigado, Yinam Cohen, para ter mais informações sobre o atentado.

Em entrevistas para canais de mídia israelenses, que assim como Jerusalém acompanham de perto as investigações, moradores de Highland Park disseram acreditar que o antissemitismo possa ter movido o atirador.

“Nossos corações e orações estão com os membros desta comunidade. Nós agradecemos às autoridades locais pela sua resposta imediata”, disse o cônsul israelense.

Outro que se manifestou sobre o atentado foi o ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu que classificou o Dia da Independência dos Estados Unidos como um dia de “celebração da liberdade e da fundação de uma grande democracia”.

“Este deveria ser um dia de alegria e não de luto”, disse Netanyahu.