Benjamin Netanyahu durante discurso na abertura do escritório da Apex-Brasil em Jerusalém. (Foto: Amos Ben Guershon, GPO). Benjamin Netanyahu durante discurso na abertura do escritório da Apex-Brasil em Jerusalém. (Foto: Amos Ben Guershon, GPO).

Durante abertura do escritório econômico da Apex-Brasil em Jerusalém, Eduardo Bolsonaro disse que o Brasil reconhecerá Jerusalém como a capital do Estado de Israel ajudará o país a combater o terrorismo.

Unidos com Israel

Na tarde deste domingo (15), aconteceu na cidade de Jerusalém, a cerimônia que inaugurou a o escritório de comércio e investimento do governo brasileiro na capital do Estado de Israel.

Estiveram presentes na cerimônia o Deputado Federal Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente Jair Messias Bolsonaro, e o Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Em um breve discurso, o Premier israelense disse que a abertura do escritório, que será administrado pela Apex-Brasil em Jerusalém, é um “momento que gera muita esperança” para os dois países. “Isto é parte de um plano de comprometimento do presidente Bolsonaro que irá abrir a embaixada do Brasil em Jerusalém no ano que vem. Com a ajuda de Deus, como costumamos dizer”, disse Netanyahu.

Netanyahu lembrou e celebrou também, a abertura da rota de voo direta entre Israel e o Brasil. Desde o início deste ano a Latan faz voos diretos para Tel Aviv desde a cidade de São Paulo. Para Netanyahu, esta rota além de ser excelente para o turismo, beneficia também as relações comerciais entre empresas e instituições dos dois países. Isto porque o tempo de voo foi reduzido em várias horas.

Netanyahu disse ainda que para o mercado internacional, Israel é um dos países “mais dinâmicos e inovadores do mundo”. Para ele, o escritório comercial da Apex-Brasil em Jerusalém, irá ajudar a estreitar as relações comerciais entre Israel e o Brasil, um país com um “imenso potencial”.

Benjamin Netanyahu agradeceu também o apoio do governo brasileiro, sob a liderança do Presidente Bolsonaro, que se uniu e hoje apoia Israel no cenário internacional. “Israel esteve lá para ajudar durante a tragédia de Brumadinho e durante as queimadas na Amazônia, nós sempre estaremos prontos para ajudar o povo brasileiro”, disse o Premier israelense.

O Deputado Federal Eduardo Bolsonaro discursou logo após o Primeiro-ministro israelense, e prometeu ajudar o país em sua luta contra o terrorismo. “Para lutar contra o terrorismo devemos demonstrar força. É por isso que cedo ou tarde, nós iremos reconhecer o Hezbollah como uma organização terrorista”, disse Bolsonaro.

Eduardo disse que o governo brasileiro conhece as atividades do Hezbollah na Venezuela e na região sul do Brasil. Em especial, na tríplice fronteira entre a Argentina, Paraguai e o Brasil. Para ele, a luta contra o terrorismo deve não apenas ser travada por Israel, mas a nível global.

Ao final de seu discurso, Eduardo Bolsonaro reafirmou a promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro e a transferência da embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. “Ele fará isso”, disse Eduardo, “nós estamos estudando como isso será feito, mas queremos ser um exemplo para outros países da América Latina fazerem o mesmo de forma confortável”, concluiu.