Arquivo: soldados do IDF em uma região próxima a fronteira com o Líbano e a Síria (foto: Dover Tzahal) Arquivo: soldados do IDF em uma região próxima a fronteira com o Líbano e a Síria (foto: Dover Tzahal)

De acordo com o Porta-voz do IDF, quatro terroristas foram mortos por soldados israelenses ao tentarem explodir a cerca de segurança na fronteira entre Israel e a Síria.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 30/08/2020

 

O foguete lançado por terroristas da Faixa de Gaza contra a cidade de Sderot não foi o único ataque ao território israelense desta noite. Horas depois, desta vez na região norte do país, terroristas tentaram explodir a cerca de segurança que localizada na fronteira entre Israel e a Síria.

Em nota, o Porta-voz do Exército de Defesa de Israel (IDF) informou que já há alguns dias, terroristas “disfarçados de pastores” estão se aproximando da cerca de segurança que separa o território israelense da Síria e por esta razão decidiu-se montar uma emboscada no local.

“O incidente desta noite começou aproximadamente às 20h, quando sentinelas do centro de comando da brigada 474 avistaram alguns suspeitos se aproximando da cerca de segurança em uma região próxima a uma base militar desativada”, diz a nota do General Adi Zilberman, Porta-voz do IDF.

Segundo as autoridades israelenses, por três horas, as sentinelas observaram os suspeitos e analisaram seu comportamento até confirmarem que 4 terroristas, alguns deles armados, estavam colocando explosivos na cerca de segurança. Vale ressaltar, que esta cerca, foi construída e fica localizada, já em território israelense para proteger comunidades próximas a fronteira.

Durante toda a operação, além das sentinelas em frente às câmeras do centro de comando, agentes de elite da Unidade Maglan acompanharam de perto toda a movimentação dos terroristas. Ao receberam autorização, os soldados abriram fogo contra os terroristas. Uma aeronave, provavelmente não tripulada, também foi usada para defender o território israelense.

 

Ainda de acordo com o Porta-voz do IDF, até momento, não se sabe a qual organização pertencem os terroristas e se há ligação entre este ataque e as ameaças feitas pelo Hezbollah na semana passada.