Bombeiros tentam controlar as chamas de um incêndio em Israel (Yonatan Sindel/Flash90) Yonatan Sindel/Flash90
Fire fighters try to extinguish a forest fire near Kibbutz Harel, on May 23, 2019. (Yonatan Sindel/Flash90)

Terroristas palestinos lançaram na noite do último domingo, diversas bombas incendiárias contra o bairro de Pisgat Zeev em Jerusalém. Bombeiros e voluntários foram acionados para controlar as chamas.

Por TPS

Versão em português: Unidos com Israel

 

Parece que os incêndios são a nova arma de terroristas palestinos contra Israel. Na noite deste domingo, 26, terroristas lançaram diversas bombas incendiárias e coquetéis molotov contra o bairro Pisgat Zeev, em Jerusalém.

Os terroristas tentaram incendiar a vegetação próxima à cidade na esperança de que o forte calor, o clima seco e o vento provocassem um incêndio de grandes proporções. O bairro de Pisgat Zeev é localizado próximo a bairros e aldeias árabes.

Equipes de bombeiros e voluntários foram acionadas e o incêndio controlado.

Há anos os terroristas palestinos adotaram o fogo e os incêndios como uma de suas armas contra o Estado de Israel. Com o forte calor do verão israelense, o clima seco e a falta de chuvas, uma simples fagulha na vegetação seca, pode provocar um incêndio devastador. Em Israel um incêndio pode ser mais perigoso do que um míssil do Hamas.

No final da última semana, mais de 1000 focos de incêndio se espalharam por Israel. O fogo obrigou o governo israelense a evacuar cidades inteiras, 3500 cidadãos foram retirados de suas casas.

As chamas queimaram 50 casas nas comunidades de Mevo Modiin e Kibutz Harel.

O Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu ajuda de países vizinhos no combate às chamas. Egito, Grécia, Itália, Croácia e Chipre enviaram equipes de bombeiros e aeronaves para auxiliar as equipes israelenses.