Terrorista acusado de assassinar o joven israelense Dvir Sorek é preso por soldados do IDF. (Foto: IDF Spokesperson Unit) Terrorista acusado de assassinar o joven israelense Dvir Sorek é preso por soldados do IDF. (Foto: IDF Spokesperson Unit)

Related:

Dois terroristas, acusados de assassinar a facadas o jovem israelense Dvir Sorek na última quarta-feira, foram presos pelas forças de segurança de Israel.

Unidos com Israel

Dvir Sorek. (Foto: Arquivo familiar/IDF Spoksperson Unit)

Uma operação conjunta do Shin Bet (serviço de inteligência interno de Israel), exército e polícias, prendeu no sábado, dois terroristas acusados de assassinar a facadas, o jovem israelense Dvir Sorek de 19 ano. O atentado aconteceu na última quarta-feira, Dvir foi sequestrado, assassinado e seu corpo foi atirado na entrada de um Kibutz, há 20 minutos de Jerusalém.

Nasir Asafra de 24 anos e Qassem Assafra de 30 anos, foram presos por soldados israelenses há apenas 10 quilômetros do local do atentado que tirou a vida do estudante e soldado do IDF Dvir Sorek. Segundo o IDF, Nasir é membro de uma célula da organização terrorista Hamas na cidade de Hebron.

Os terroristas, Nasir e Qassem, são primos e ambos vivem na aldeia palestina de Beit Kahil. Eles estavam deitados em suas camas, em dois diferentes esconderijos, quando por volta das 3:30 da manhã de sábado, foram surpreendidos e presos por soldados do IDF.

“Entramos nas casas em silêncio e subimos as escadas”, contou o comandante S., integrante de uma unidade de elite da polícia israelense conhecida por caçar terroristas. “Imediatamente os encontramos dormindo, quando eles abriram os olhos eles me viram e viram meus soldados com cães policiais. Eles ficaram em total estado de choque. Com medo. Eles achavam que nunca iriamos encontrá-los”, contou o policial israelense.

Carro usado pelos terroristas para cometer o atentado e fugir. (Foto: IDF Spokesperson Unit)

O carro usado pelos terroristas para cometer o atentado, um Hyunday branco,  também foi encontrado e enviado para análises de DNA.

De acordo com o Porta-voz do exército israelense, durante a operação que prendeu Nasir e Qassem Assafra, os soldados do IDF foram surpreendidos por uma manifestação violenta de palestinos. Aproximadamente 100 pessoas atiraram pedras contra as forças de segurança de Israel que responderam usando armas não letais para dispersar os manifestantes.

Em uma nota publicada na última quinta-feira, a organização terrorista Hamas, que controla a Faixa de Gaza, comemorou a morte de Dvir Sorek e pediu que os palestinos da Cisjordânia “abrissem suas casas para esconder” os terroristas.

O Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, parabenizou as forças de segurança de Israel pela operação que prendeu os assassinos de Dvir. “Nos últimos anos, conseguimos colocar nossas mãos em todos os terroristas que assassinaram israelense. Hoje, fizemos isso mais uma vez. Nós continuaremos a lutar contra o terror em todas as frentes de batalha”, disse Netanyahu.