(Courtesy/Pfizer) (Courtesy/Pfizer)
Pfizer

A vacina da Pfizer contra o coronavírus começará a ser ministrada para as equipes médicas e profissionais da área da saúde já na próxima semana.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 15/12/2020

 

Depois de ser aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration), a vacina contra o coronavírus desenvolvida pelas empresas Pfizer e BioNTech começarão a ser distribuídas para a população de Israel já na próxima semana.

Armazenadas no centro de distribuição da farmacêutica israelense Teva, desde que chegaram ao país na última quarta-feira (9), as vacinas foram compradas pelo governo de Israel através de um contrato que prevê a aquisição de 4 milhões de doses do medicamento.

A campanha de vacinação que vem sendo elaborada pelo Ministério da Saúde de Israel prevê que as equipes médicas e profissionais da área da saúde sejam os primeiros a ter acesso a vacina. Isto deve acontecer já no próximo domingo em postos de vacinação que vem sendo montados em hospitais de todo o país.

De acordo com a Dra. Sharon Elroy -Preiss, Diretora do Serviço de Saúde Pública do Ministério da Saúde de Israel, as vacinas estarão à disposição da população já na próxima quarta-feira, 23 de dezembro. Em um primeiro momento, os idosos e integrantes dos grupos de riscos serão os primeiros a serem vacinados. Isto, se quiserem.

“Nós fomos instruídos a estar prontos” disse Calanit Kay, diretora da campanha de vacinação da Clalit, um dos 5 planos de saúde compulsórios de Israel. Serão estes órgãos, frutos de uma parceria público-privada e que atendem a toda a população israelense, os responsáveis pela campanha de vacinação do público em geral.

A vacina da Pfizer contra o coronavírus ainda não foram aprovadas pelas autoridades sanitárias israelenses, mas segundo a Dra. Shron Elroy-Preiss, isso deve acontecer já nos próximos dias.

Após receberem as duas doses da vacina da Pfizer contra o coronavírus os israelenses receberão um documento atestando a vacinação. Isto garantirá àqueles que optarem por vacinar-se, os benefícios agraciados às pessoas já curadas da doença covid-19. Entre estes benefícios estão a isenção da obrigatoriedade de quarentena em casos de exposição ao vírus chinês ou regresso do exterior e a isenção da exigência de realização de testes de coronavírus para entrar em áreas turísticas do país como a região do Mar Morto e o balneário de Eilat.

De acordo com a Dra. Elroy -Preiss, não haverá sanções impostas àqueles que escolherem não ser vacinar e a obrigação do uso de máscaras para toda a população será mantida, pelo menos por enquanto.

As declarações aqui dispostas, da Dr. Sharon Elroy-Preiss e da Sra. Calanit Kay, foram feitas na manhã desta terça-feira em entrevista para a rede de notícias israelense Ynet.