Arquivo: foto do aeroporto Internacional Ben Gurion en Tel Aviv, vazio em fevereiro deste ano (Foto: David Aghiarian, Unidos com Israel) Arquivo: foto do aeroporto Internacional Ben Gurion en Tel Aviv, vazio em fevereiro deste ano (Foto: David Aghiarian, Unidos com Israel)

Em uma tentativa de conter o avanço do coronavírus, Israel decidiu pela quarentena compulsória para todos aqueles que chegarem ao país.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 20/12/2020

 

Diante do aumento do número de casos de covid-19 em Israel e da mutação pela qual passou o coronavírus, detectada pelas autoridades sanitárias do Reino Unido, o governo israelense determinou que todos aqueles que chegarem ao país serão submetidos a um período de até 14 dias de quarentena.

Até a manhã deste domingo, passageiros que chegavam a Israel vindo de países considerados “verdes”, em função do baixo índice de casos de covid-19, não eram obrigados a cumprir o período de quarentena. Entre estes países estavam os Emirados Árabes Unidos, Austrália, Uruguai, Finlândia, Nova Zelândia, Singapura, Japão e mais.

A quarentena domiciliar compulsória é exigida em Israel desde o início da pandemia para pessoas vindas do exterior ou pessoas que tiveram por exemplo, contato com pacientes diagnosticados com covid-19. Todos os dias, o Ministério da Saúde atualiza a lista de locais e estabelecimentos comerciais por onde passaram doentes nas últimas duas semanas. Feita a partir de informações colhidas de pacientes diagnosticados com covid-19 por um exército de funcionários das autoridades sanitárias e defesa civil, responsáveis pela investigação epidemiológica, esta lista tem o objetivo de romper a cadeia de transmissão do vírus chinês.

Hoje, a regra de 14 dias de quarentena domiciliar, ou 10 dias após a decorrência de 2 testes negativos de coronavírus, é fiscalizada pela polícia. Os infratores, estão sujeitos a uma multa de até 5.000 shekalim, o equivalente a aproximadamente 1.550 dólares.

 

Quarentena e isolamento para passageiros vindos do Reino Unido

 

Tentando impedir que a nova variante do coronavírus chegue a Israel, as autoridades locais responsáveis pela luta contra a pandemia do vírus chinês, determinaram que os israelenses que chegarem ao país vindos do Reino Unido, Dinamarca e África do Sul, serão enviados a um hotel e lá deverão ficar isolados por um período de até 14 dias. Estes hotéis, geridos pela unidade de Defesa Civil do Exército de Defesa de Israel, estão espalhados por todo o país e oferecem uma opção para aqueles que não tem condições de cumprirem o período de quarentena em suas casas.

Além de Israel, a Holanda e a Bélgica também impuseram restrições ao Reino Unido para conter a proliferação da variante do vírus chinês e determinaram o cancelamento de todos os voos vindos do país. A Alemanha é outra nação europeia que já cogita o cancelamento dos voos para e provenientes do Reino Unido.

Quase 10 meses após a confirmação do primeiro caso de coronavírus do país, Israel tem hoje 24.356 casos ativos de covid-19. Destes pacientes, 466 estão em estado grave.

Desde o início da pandemia as autoridades israelenses já registraram 373.655 casos de coronavírus no país e 3.082 mortes.

Send Passover Packages to Needy Israeli Soldiers - Bring Them Joy!

We are honored to thank the young men and women of the IDF who risk their lives every day to protect the citizens of Israel. Since October 7th, soldiers have been on the battlefield for months - many are hoping to come home for Passover.

Join us in sending Passover food packages (and personal notes) to Israeli soldiers and their families.

Many soldiers spend the Passover holiday with needy families back home. The soldiers greatly appreciate your love and concern. Bring them Passover joy!

CLICK HERE TO SEND YOUR PACKAGE AND NOTE TO ISRAELI SOLDIERS!

Donate to Israel