Bombeiro de Israel trabalhe no combate às chamas (Foto: Facebook do Corpo de Bombeiros de Israel) Bombeiro de Israel trabalhe no combate às chamas (Foto: Facebook do Corpo de Bombeiros de Israel)

Incêndios no final da semana passada em Israel destruíram 50 casas e quase 8 milhões de metros quadrados de vegetação.

Os balões incendiários do Hamas, os incêndios criminosos, as fogueiras de Lag Baomer e o forte calor que castigou Israel no final da última semana deixaram marcas por todo o país. Focos de incêndio se alastraram rapidamente por Israel e obrigaram o Primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, a pedir ajuda internacional para combater o fogo.

Com os incêndios controlados, o Primeiro-ministro Benjamin Netanyahu agradeceu a ajuda de países vizinhos que enviaram equipes de bombeiros e aeronaves para combater as chamas. Egito, Chipre, Itália, Croácia e Grécia responderam imediatamente ao apelo de Israel por ajuda.

Em um curto pronunciamento, Benjamin Netanyahu disse: “Eu gostaria de agradecer ao meu amigo, o Presidente Sisi (do Egito), por haver enviado dois helicópteros. Recebemos também a oferta de outras organizações como a Autoridade Palestina, e mais seis ou oito países, entre eles a Rússia, que estavam prontos para enviar ajuda. Estes países entraram em contato conosco antes mesmo de havermos entrado em contato com eles.”

Os incêndios destruíram 10 casa no Kibutz Arhel e 40 casas em Mevo Modiin onde está sendo investigada a possibilidade de os incêndios haverem sido provocado por criminosos ou terroristas.

Os números dos incêndios:

41 horas de combate ao fogo

1023 focos de incêndio

1312 bombeiros e 307 voluntários trabalharam no combate às chamas

12 aviões do Corpo de Bombeiros de Israel e 9 aeronaves de países vizinhos auxiliarem no combate às chamas

13 bombeiros feridos

50 casas destruídas pelo fogo