Vinhos da vinícola Gvaot. Foto: David Aghiarian Vinhos da vinícola Gvaot. Foto: David Aghiarian

Apesar dos esforços pelo boicote, vinho israelense da região da Samária, é premiado com a medalha de ouro no concurso Decanter World Wine Awards, a maior competição de vinhos do mundo.

Unidos com Israel

A vinícola israelense Gvaot Winery, localizado no coração da Samária, às margens do rio Shiló, conquistou uma medalha de ouro no prestigiado concurso Decanter World Wine Awards (DWWA) realizado em Londres na semana passada.

Cabernet Sauvignon Gofna 2016 . Foto: David Aghiarian

Tendo conquistado 95 pontos, o vinho vencedor foi o Cabernet Sauvignon Gofna 2016 da vinícola israelense.

“Estou muito feliz com esta impressionante vitória. Eu prometo aos meus clientes em Israel e ao redor do mundo que sem afetarmos a inovação, seguiremos preservando a tradição de fazer vinhos em Israel e em particular, na região da Samária”, disse Eliav Miller, Diretor da Gvaot Winery.

Apesar da intensa campanha de movimentos como o BDS, que promovem o boicote a produtos israelenses, o Instituto de Exportação de Israel, constatou um aumento anual de 6% nas exportações de vinhos.

A competição Decanter World Wine Awards, criada pela revista de vinhos Decanter, está em sua 16ª edição e é a mais importante competição de vinhos do mundo. A revista Decanter é referência mundial em vinhos sendo distribuída em mais de 90 países.

A edição de 2019, em Londres, contou com a participação de 270 juízes. Entre eles, havia 71 integrantes do instituto Masters of Wine e 24 da organização Court of Master Sommeliers fundada em 1977. Os vinhos são avaliados através de degustações às cegas.

Fundada em 2005 como uma pequena empresa familiar pelo empreendedor Amnon Weiss em parceria com o enólogo Shivi Drori, a vinícola israelense Gvaot Winery, aposta na superioridade do seu produto e em sua localização geográfica.

A Gvaot Winery é localizada em uma região montanhosa, a 800 metros acima do nível do mar, onde escavações arqueológicas revelaram a produção milenar de vinhos.

Os vinhos da vinícola israelense, são o resultado de um lento processo de fermentação a frio que combinado com uma tecnologia avançada, característica de Israel, garante a preservação do aroma e do sabor das uvas.

Dr. Shvi Drori, além de enólogo da vinícola Gvaot Winery, é pesquisador e agrônomo da Universidade Ariel, também na região da Samária. Ao longo de sua carreira, Drori encontrou aproximadamente 60 variedades de uvas que eram usadas desde os tempos bíblicos, na produção de vinho na região da Samária.

Hoje em dia, Israel conta com mas de 350 vinícolas e produz mais 65 milhões de garrafas por ano.

Existe melhor forma de combater o BDS do que com uma deliciosa taça de vinho? Nós da Unidos com Israel acreditamos que não.