Aiatolá Ali Khamenei (Office of the Iranian Supreme Leader via AP) Aiatolá Ali Khamenei (Office of the Iranian Supreme Leader via AP)

Rafael Grossi, Diretor-geral da AIEA expressou ter “sérias preocupações” sobre o programa nuclear iraniano.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 17/06/2020

 

Durante uma reunião da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) no último dia 15, o Diretor-geral da instituição das Nações Unidas, o argentino Rafael Mariano Grossi, expressou “sérias preocupações” com o programa nuclear iraniano.

“Eu digo com extrema preocupação que durante os últimos 4 meses, o Irã nos negou acesso a 2 localidades e por mais de um ano, não se envolve em sérias discussões para esclarecer nossas dúvidas relacionadas a possíveis matérias e atividades nucleares não declaradas”, disse Rafael Grossi.

 

 

O Diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica disse ainda que a posição adotada pelo Irã, “está afetando negativamente a capacidade da AIEA de esclarecer as dúvidas e assegurar com credibilidade, a ausência de matérias e atividades nucleares nestas localidades.

Grossi exigiu ainda que o Irã, “coopere imediatamente e de forma absoluta com a Agência”.

Durante uma coletiva de imprensa, quando questionado por jornalistas sobre a possibilidade de adotar medidas concretas que obriguem o Irã a cooperar com as inspeções, Grossi disse que este era um tema a ser discutido pelo Conselho de Governadores da AIEA. Todos os anos, 35 governadores são eleitos durante a Conferência Geral da Agência Internacional de Energia Atômica.

Grossi disse ainda que tomou a decisão de finalmente confrontar o Irã “após um extensivo e meticuloso processo que verificou e comprovou informações recebidas de terceiros”.

Estas informações, seriam os documentos obtidos pelo Mossad, roubados de instalações em Teerã, trazidos para Israel e apresentados ao público pelo Primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em meados de 2018. Naquele ano, durante seu discurso na Assembléia Geral da Nações Unidas, o premier israelense acusou o Irã de esconder parte de seu programa nuclear da comunidade internacional em duas localidades.

Eli Cohen, o Ministro da Inteligência do governo de Benjamin Netanyahuy e Benny Gantz, disse que “palavras e discursos políticos não bastam. A AIEA está há mais de um ano pedindo ao Irã esclarecimentos sobre duas localidades nas quais o acesso dos agentes da instituição foi negado”.

Para o ministro israelense, o Irã está sem qualquer sombra de dúvida, “escondendo suas atividades nucleares da comunidade internacional.”