shutterstock shutterstock

Camberra acabou com a distinção entre os braços político e militar da organização xiita libanesa.


Por Unidos com Israel

Tel Aviv, 24/11/2021

 

A Ministra do Interior da Austrália, Karen Andrews, anunciou nesta quarta-feira (24) que Camberra decidiu declarar todo o grupo xiita libanês Hezbollah como uma organização terrorista. Assim, o governo de Scott Morrison, acaba com a distinção entre os braços político e militar comandado por Hassan Nasrallah e se aproxima de Israel.

A distinção entre os braços político e militar do Hezbollah é adotada por muitos países e organizações mundiais, entre eles a União Europeia. Esta visão cega de que cada braço do grupo xiita libanês tem uma agenda e métodos contrastivos garante a Hassam Nasrallah e seus colaboradores, liberdade para agir, recrutar novos membros e angariar fundos para o grupo terrorista.

Além da Austrália outros 17 países reconhecem todo o Hezbollah como uma organização terrorista, entre eles Israel, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Reino Unido e Eslovênia.

“O governo Morrison tem a intenção de designar todo o Hezbollah e o grupo racista neonazista The Base como organizações terroristas sob o código penal. Eu continuarei a adotar ações enérgicas para manter a Austrália a salvo do terrorismo”, diz um tweet publicado por Andrews.

O ex-Procurador-geral da Austrália, Mark Dreyfus, também comentou a decisão de Camberra. Segundo ele, o “Hezbollah é um único grupo e uma organização terrorista”.

O anúncio de Karen Andrews foi recebido calorosamente por Jerusalém. O Primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett agradeceu a Scott Morrison, com quem se encontrou durante a COP26 em Glasgow, e disse que o “Hezbollah é uma organização terrorista financiada pelo Irã e responsável por incontáveis atentados em Israel e no mundo”.

O Ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, convocou mais países a designarem todo o Hezbollah como uma organização terrorista.

“A decisão da Austrália se une aquela de outros 17 países que nos últimos dois anos, entenderam que não há grupos distintos em uma organização terrorista. A Hezbollah é um único grupo e a distinção entre seus braços é artificial”, disse Lapid.