Arquivo: soldados da Unidade de Inteligência do Exército de Defesa de Israel. Foto: IDF Arquivo: soldados da Unidade de Inteligência do Exército de Defesa de Israel. Foto: IDF

Há aproximadamente um mês, a unidade especial de inteligência 9900, do Exército de Defesa de Israel, o IDF, foi acionada para uma missão única.

Unidos com Israel

Geralmente acostumados a monitorar terroristas, atividades nucleares no Irã e deslocamentos de grandes quantidades de armamentos no Iraque, na Faixa de Gaza e na Síria, os soldados do IDF deveriam desta vez encontrar os destroços do avião militar chileno que desapareceu na Antártica.

O desastre aéreo em questão aconteceu no último dia 9 de dezembro de 2019. Naquele data, um avião militar Hércules C-130 da Força Aérea do Chile, que decolou às 16:55 de Punta Arenas com destino a Antártida, desapareceu dos radares. O avião, que viajava para oferecer apoio logístico a uma base militar na Ilha Rei George, levava 17 tripulantes e 21 passageiros.

Após o pedido de ajuda do governo chileno, que mantém boas relações com Jerusalém, a unidade 9900 foi acionada para auxiliar. Rapidamente uma equipe foi formada e durante as primeiras 24h, consideradas extremamente críticas, os soldados e oficiais do IDF monitoraram as águas do oceano na tentativa de encontrar destroços do avião.

Arquivo: soldado da Unidade de Inteligência do Exército de Defesa de Israel. Foto: IDF

Os soldados israelenses tinham a sua disposição, além dos meios tecnológicos do IDF, imagens de satélite que foram entregues pelas autoridades chilenas ao Adido Militar de Israel em Santiago, Coronel Eran Gabay. As imagens haviam sido feitas por um satélite da União Europeia horas após o acidente, mas uma imensa área do oceano ainda deveria ser monitorada e vasculhada.

“Ao ouvirmos sobre o acidente, imediatamente quisemos ajudar a equipe que foi montada o mais rápido possível”, disse a Major M., da unidade de inteligência 9900 do IDF ao jornal israelense Ynet. “O trabalho é parecido a encontrar uma agulha em um palheiro. Rapidamente montamos uma equipe e nossos especialistas analisaram várias vezes as imagens com o intuito de encontrar anomalias no mar, como por exemplo mudanças na coloração da água. Tudo isso foi feito usando novíssimos meios tecnológicos desenvolvidos apenas no ano passado”, disse ela.

A Major contou ainda que foram alguns jovens soldados do IDF, que há pouco terminaram um curso de perícia de imagens de satélite, os primeiros a encontrar “pequenas alterações que indicavam uma grande anomalia em uma área do oceano.” Ao conseguirem reduzir drasticamente a área de buscas, os soldados israelenses repassaram os dados de sua perícia para o exército chileno.

Ao receberem as constatações da perícia realizada pelos soldados da unidade 9900 do exército israelense, as equipes de busca concentram seus esforços na zona demarcada. Horas depois, navios da Marinha do Brasil e do Chile, anunciaram haver encontrado destroços do avião Hercules – C130. Infelizmente, nenhum dos passageiros ou tripulantes sobreviveu.

“Este foi um acidente trágico”, disse o Adido Militar de Israel em Santiago, Coronel Eran Gabay, ao jornal Ynet. “Ao tomarmos conhecimento do desaparecimento do avião, imediatamente nos oferecemos para ajudar a encontrá-lo. No mesmo momento, um pedido de ajuda estava sendo enviado para a Embaixada de Israel no Chile e para o Gabinete do Primeiro-ministro israelense”, disse o Coronel.

Eran Gabay revelou ainda que a decisão de ajudar o governo do Chile foi prontamente tomada. Segundo ele, isso é parte “de uma política humanitária extraoficial do Estado de Israel” que está sempre pronto para auxiliar seus aliados em tempos de crise.

O militar israelense também exaltou a cooperação entre os exércitos de Israel e do Chile e o laço de amizade entre os dois países.

Além de Israel, participaram da operação de busca equipes do Brasil, Estados Unidos, Argentina, Reino Unidos, Peru e Uruguai.

As causas do acidente ainda não estão claras, mas desde já, enviamos nossos sentimentos aos familiares das vítimas deste trágico acidente.