Porta-voz do braço armado da organização terrorista Hamas (Abed Rahim Khatib/Flash90) Porta-voz do braço armado da organização terrorista Hamas (Abed Rahim Khatib/Flash90)

Após a suspensão da mesada no valor de 30 milhões de dólares, paga pelo Catar para os palestinos da Faixa de Gaza, o grupo terrorista Hamas passou a atacar Israel diariamente.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 01/09/2020

 

Nesta segunda-feira (31), o grupo terrorista Hamas anunciou um acordo de cessar-fogo com Israel. Há aproximadamente um mês, terroristas desta e outras organizações presentes na Faixa de Gaza passaram a atacar diariamente a população civil de Israel. Isto, após a suspensão dos repasses mensais no valor de 30 milhões de dólares pagos pelos Catar aos palestinos.

Foguetes e balões, aos quais são presos dispositivos incendiários e explosivos, foram usados por semanas a fio para aterrorizar a sociedade israelense. Aliados ao clima seco e ao forte calor do verão no Oriente Médio, estes balões provocaram incontáveis incêndios em comunidades agrícolas próximas a fronteira com o território controlado pelo Hamas. Além disso, na cidade de Sderot localizada no sul de Israel, duas casas foram parcialmente destruídas por foguetes lançados por terroristas.

O acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas foi mediado pelo governo do Catar e anunciado após uma conversa telefônica entre Ismail Haniya, líder do grupo terrorista, e o Ministro das Relações Exteriores do Qatar, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani. No último dias 25 de agosto, munido de milhões de dólares, o emissário do governo do Catar, Mohammed al-Emadi, entrou na Faixa de Gaza para tentar persuadir os líderes da organização terrorista a cessarem os ataques a Israel.

De acordo com a mídia israelense, o Hamas exigiu o pagamento de 60 milhões de dólares, referentes as duas últimas parcelas da mesada paga pelo Catar aos palestinos, e ainda um subsídio em função da crise gerada pela pandemia do coronavírus. Além disso, o Catar concordou em enviar insumos médicos à Faixa de Gaza. Na semana passada, o Hamas voltou a adotar o confinamento social após um aumento no número de casos de covid-19.

O governo israelense por sua vez, concordou em levantar as restrições impostas à Faixa de Gaza em função dos ataques ao seu território. Ontem, a passagem de Kerem Shalom, que liga Israel a Faixa de Gaza, foi reaberta e o envio de combustíveis retomado. Além disso, o bloqueio a zona de pesca também foi suspenso nesta terça-feira. “A zona de pesca e a passagem Kerem Shalom foram reabertas, a continuação depende do comportamento do grupo terrorista Hamas”, disse uma fonte do governo israelense ao jornal Ynet.