Aiatolá Ali Khamenei (Office of the Iranian Supreme Leader via AP) Aiatolá Ali Khamenei (Office of the Iranian Supreme Leader via AP)

“Enriquecimento de urânio a 20% é uma linha vermelha que exige uma resposta irrefutável” diz nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel.


Por David Aghiarian, Unidos com Israel

Tel Aviv, 06/01/2020

 

O Ministério das Relações Exteriores de Israel, assim como o Primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, reagiram à decisão do Irã de enriquecer urânio a 20%.

“O Irã mais uma vez violou suas obrigações junto à comunidade internacional ao dar início ao processo de enriquecimento de urânio a 20% na instalação nuclear subterrânea de Fordo. Este ato deve servir como um alerta para todos aqueles que defendem que sejam feitas concessões ao Irã”, disse uma nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel.

Israel acusa o Irã de haver construído a usina nuclear subterrânea de Fordo como base para o desenvolvimento de seu programa nuclear bélico. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores do país, “o uso desta instalação com o propósito de enriquecer urânio é uma clara indicação da intenção iraniana”.

O Ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi, urgiu a comunidade internacional a responder de forma imediata à afronta cometida pelo regime dos aiatolás.

“Eu faço um apelo à comunidade internacional para que não tolere as desafiadoras ações do Irã. Vejam este ato como uma linha vermelha que requer uma reposta irrefutável e imediata”, disse Ashkenazi.

Através um post nas redes sociais, o Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu acusou o Irã de estar desenvolvendo seu programa nuclear bélico apesar do acordo assinado junto às potências mundiais. O premier disse ainda que “Israel não irá permitir que o Irã produza armas nucleares”.

“A decisão do Irã de continuar violando seus compromissos, elevar o nível de enriquecimento e desenvolver sua capacidade industrial de enriquecer urânio em instalações subterrâneas não pode ser explicada de nenhuma outra forma senão, através de seu desejo incessante de desenvolver um programa nuclear bélico”, disse Netanyahu.