Senador Bernie Sanders. (APMike Groll) Senador Bernie Sanders. (APMike Groll)

Bernie Sanders, pré-candidato à presidência dos Estados Unidos disse que se eleito, estuda retirar a embaixada de Jerusalém e aproximará os americanos dos palestinos.

David Aghiarian, Unidos com Israel

Durante um debate entre os pré-candidatos do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos realizado ontem à noite, Bernie Sanders foi questionado sobre sua relação com a comunidade judaica americana e com aqueles que apoiam o Estado de Israel.

Nascido em Nova York, Bernie Sanders é um político americano judeu que hoje em dia ocupa o cargo de Senador pelo Estado de Vermont. Atualmente filiado ao partido Democrata, Sanders já fez parte da Liga Socialista dos Jovens, um braço do Partido Socialista da América. Se eleito, Bernie Sander será o primeiro presidente judeu dos Estados Unidos da América.

Nesta terça-feira o mediador do debate, transmitido pela rede américa CBS, fez a Sanders a seguinte pergunta: “Recentemente, você disse que o famoso e habitual lobby americano pró-Israel é uma plataforma “intolerante”. O que você diria para os judeus americanos que não compartilham da sua visão e temem que você não seja um apoiador de Israel? Especificamente Senador, você devolveria a embaixada dos Estados Unidos de Jerusalém para Tel Aviv?”

“Isto é algo que vamos estudar”, respondeu Sanders antes de atacar o Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. “Tenho orgulho em ser judeu e vivi em Israel por alguns meses. Mas hoje, eu acredito que de maneira triste e trágica, Benjamin Netanyahu, um reacionário e racista, está governando o país”, disse o pré-candidato à presidência dos Estados Unidos.

Além de atacar o Primeiro-ministro e a democracia israelense, Sanders disse também que irá rever a política externa dos Estados Unidos. “Nossa política externa aproximará os palestinos dos americanos e através deste contexto, aproximaremos as nações do Oriente Médio”, concluiu Sander após dizer que mesmo assim, garantirá a segurança de Israel.

Durante o debate, Sanders foi atacado com voracidade por seus adversários. O pré-candidato a presidência dos Estados Unidos, Mike Bloomberg por exemplo, que também é judeu, disse que a transferência da embaixada dos Estado Unidos para Jerusalém é algo irreversível e que Sanders deveria “aprender a viver com isso”.

Mesmo a pré-candidata mais progressista do partido Democrata disse, em relação a transferência da Embaixada dos Estados Unidos de Jerusalém para Tel Aviv, que nenhuma ação “pode ser feita sem o consentimento dos dois lados.”

Bernie Sanders, um político que atua no coração do capitalismo e em uma país que tem orgulho da liberdade de seus cidadãos, costuma elogiar o ditador cubano Fidel Castro. Derrotado nas últimas eleições por Hillary Clinton, Sanders hoje lidera as pesquisas e pode se tornar o candidato do partido democrata à Casa Branca.